Blog

Latest News

6 DICAS ESSENCIAIS PARA A SUA PRIMEIRA VIAGEM DE WORK EXCHANGE

Alguns anos atrás, quando eu comecei a me interessar pela ideia de viajar através de work exchange (troca de trabalho por hospedagem), pouco se falava sobre o assunto aqui no Brasil. Revirei a internet do avesso atrás de relatos de brasileiros que já tivessem viajado dessa maneira, mas sem sucesso. O que me restou então, foi me virar no meu inglês meia boca atrás de dicas sobre o assunto em blogs “gringos”…

Mesmo com pouca informação, eu meti as caras e lá fui eu para a minha primeira experiência no interior da Inglaterra… tudo deu certo, e de tão maravilhoso que foi, eu senti a necessidade de dividir o que vivi com outras pessoas e fundei o projeto Por Uma Vida Mais Rica. O blog é um canal direto sobre work exchange e viagens com propósito onde compartilho informações que eu gostaria de ter tido acesso na época.

E depois de fazer um “remember” das minhas maiores dúvidas com relação a uma viagem nesse estilo, eu compilei aqui 6 dicas essenciais que te ajudarão a transformar a sua primeira viagem de work exchange em realidade:

1.Pesquise

Atualmente, existe uma enorme diversidade de anfitriões no Brasil e no mundo dispostos a receber pessoas em troca de trabalho voluntário. Mas, um misto de inexperiência, ansiedade e medo de não conseguir ser aceito por um host, acaba instigando marinheiros de primeira viagem a sair enviando mensagem para todos os hosts que aparecem na lista dos sites de busca, mesmo aqueles que nada têm a ver com os seus reais interesses.

Antes de entrar em contato com os hosts, é muito importante que você leia o perfil de cada um, entenda suas atividades e as tarefas solicitadas. Faça uma seleção daqueles que realmente te interessaram ou que, de alguma forma, você acredita que irão te agregar e aí sim faça contato. Caso algo alguma informação não tenha ficado clara, envie um email ao responsável e peça maiores esclarecimentos.

2.Confie nas pessoas

É super compreensível ficar com aquela pulguinha atrás da orelha ao pensar que você está indo se hospedar na casa de alguém que só conhece via internet… mas o que você me diz do Uber que você pega diariamente? Ou do funcionário da Net quando visita a sua casa para alguma manutenção? Lidamos com “estranhos” diariamente e assim será até o final de nossas vidas.

E essa mesma sensação deve ocorrer para a pessoa do outro lado da tela, quando ela resolve aceitar dividir o mesmo teto com um indivíduo que diz querer ajudá-la. Por isso, seja com os outros o que você gostaria que fossem com você! Semelhante atrai semelhante! 

Vale lembrar que alguns cuidados são necessários e sempre bem vindos, e é por isso que eu sempre recomendo que você procure saber um pouco mais sobre o local ou a pessoa que irá te hospedar… basta alguns cliques no Facebook e Google e você terá suas respostas!

3.Não tenha vergonha de perguntar

Não é porque você está recebendo acomodação e alimentação, que você não tem o direito de fazer perguntas. O work exchange é uma troca que deve ser positiva para ambos os lados: hosts e voluntários. Por isso, se você tem dúvidas, não tenha vergonha de perguntar… isso evita mal entendidos e torna a experiência muito mais leve.

4.Seja comprometido

Muitos hosts recebem um grande volume de mensagens de viajantes solicitando estadia. Porém, por diversos motivos, como disponibilidade, empatia, alojamento, etc, eles não conseguem hospedar todos os interessados…. quando um voluntário se compromete a chegar na data combinada, o anfitrião faz toda um programação para recebê-lo, e desmarcar em cima da hora acaba lhes causando transtornos e desgastes desnecessários.

Por isso, só confirme sua estadia quando tiver certeza de que sua viagem irá acontecer. Caso contrário, seja sincero e diga que, no momento, está apenas em fase de planejamento.

Work exchange funciona na base da colaboração, e para que esse tipo de interação continue crescendo e beneficiando cada vez mais pessoas, é fundamental que você faça a sua parte.

5.Colabore nas tarefas domésticas

Talvez isso seja óbvio para uns, mas nunca é demais frisar. Você não irá se hospedar em um hostel ou hotel, mas sim na casa de pessoas que, como todos nós, possuem tarefas domésticas diárias que necessitam de colaboração. E mesmo que aquele seja seu dia de folga, não ignore a louça suja que você deixou em cima da pia. Procure fazer na casa dos outros o que você faz no seu próprio lar.

Ah! E quando for embora, não esqueça de deixar seu quarto/cama/alojamento/etc, nas mesmas condições de arrumação e limpeza de quando você chegou!

6.Diga não quando preciso

Experiências como o work exchange, sempre pedem pessoas com perfis mais flexíveis e abertas a novos aprendizados e experiências. Porém, se você não se sentir à vontade em realizar uma tarefa específica, que possa te  afetar negativamente, converse com o seu host e exponha o problema. Nessas horas, o diálogo é fundamental para se chegar a um acordo que não prejudique nenhuma das partes envolvidas.

E se você está com dúvidas sobre por onde deve começar o seu primeiro work exchange, assista o vídeo Work Exchange no Brasil x Work Exchange no Exterior:

Autor: Amanda

Related Posts